Meu menino colorido: Uma história que promove a aceitação LGBTQIAP+ na adolescência


“Meu Menino Colorido” é um livro escrito pela pedagoga Zenilda Vilarins Cardozo. Inspirada pela história de seu sobrinho LGBTQIAP+ Guilherme e pela realidade vivenciada em sala de aula. Decidiu escrever um livro infantojuvenil para abordar questões de diversidade de gênero e sexualidade. Seu objetivo é ajudar outros jovens que enfrentam situações semelhantes, utilizando a literatura de cordel como instrumento de expressão.

experiência pessoal inspirou Zenilda a escrever “Meu menino colorido”


Com base em suas experiências como educadora, Zenilda percebeu a existência de preconceito de gênero e sexualidade entre crianças e jovens. No caso de Guilherme, seu sobrinho, ele sofreu intensos ataques homofóbicos na escola. No entanto, com o apoio da mãe e da tia, ele conseguiu superar essa fase difícil de sua vida.

Essa experiência pessoal inspirou Zenilda a escrever “Meu menino colorido”, seu terceiro livro publicado. O enredo do livro é direcionado principalmente ao público pré-adolescente e destaca os conflitos internos de um garoto ao perceber que é diferente dos demais moradores do “Planeta das Caixinhas”. O protagonista, feito de diversas cores, sente que não pertence àquele lugar, que separa as pessoas em caixas de cores únicas. O preconceito o leva a considerar desistir de tudo, mas o amor de sua mãe o salva.

Zenilda usa a literatura como arma para ressaltar a importância do apoio dentro das famílias e nas escolas as crianças LGBTQIAP+

A narrativa de Zenilda é escrita em rimas, seguindo a tradição da literatura de cordel, conferindo ritmo à leitura. As páginas coloridas do livro remetem à bandeira LGBTQIAP+ e trazem fotos do “Menino Colorido” em diferentes situações. Bem como diante do espelho, em meio a um campo de girassóis e em um abraço acolhedor. A obra também inclui um boneco de pano feito à mão, especialmente criado para compor as fotos.

A autora acredita que é fundamental que as escolas acolham os adolescentes por meio de debates sobre diversidade e combate ao preconceito. Ela usa a literatura como uma forma de promover reflexões sobre o olhar direcionado a esses jovens, além de ressaltar a importância do apoio dentro das famílias e nas escolas.


A literatura de cordel, por meio da obra “Meu menino colorido”, escrita pela pedagoga Zenilda Vilarins Cardozo, como resultado oferece uma abordagem sensível e reflexiva sobre a diversidade de gênero e sexualidade na adolescência. Em suma, inspirada pela história de seu sobrinho e pela vivência em sala de aula, a autora utiliza rimas e cores vibrantes para transmitir a importância do acolhimento, do respeito e do combate ao preconceito. Espera-se que essa obra ajude outros jovens que enfrentam desafios semelhantes, promovendo uma sociedade mais inclusiva e tolerante.

Onde encontrar “Meu menino colorido” para ler

Créditos de imagem: imagem – divulgação .


Descubra mais sobre Portal PLOP

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Compartilhe o artigo!
Shareable URL
Post anterior

Coala Festival traz Marina Lima e Fernanda Abreu em São Paulo

Next Post

Como os deuses brasileiros e o primeiro povo das Américas explicam a história da homossexualidade?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o próximo

Descubra mais sobre Portal PLOP

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading