Banda Djavú entrega música e performance no CTN

O Centro de Tradições Nordestinas (CTN) está com tudo neste início de ano, trazendo uma programação de shows que promete agitar São Paulo e envolver o público em uma experiência única. Após o estrondoso sucesso do show de Jorge e Mateus em janeiro, que teve seus ingressos esgotados semanas antes da apresentação, o CTN está ansioso para continuar surpreendendo o público ao longo do primeiro semestre de 2024.

Durante a noite de ontem, (08), o CTN, mais uma vez, recebeu a ilustre apresentação da Banda Djavú!

Imagem/reprodução: CTN.

A cidade de São Paulo foi tomada por pura animação no CTN, que começou o mês de março com o pé direito. Com um público entusiasmado, show empolgante e uma energia contagiante, a noite foi marcada por apresentações incríveis de, Manu Batidão, a Banda Djavú e o cantor Deavéle Santos, que abriu o show.

A Banda Djavú é conhecida por suas músicas que fazem qualquer um dançar. Responsáveis por hits como “O que pensa que eu sou” e “Não desligue o telefone”, a banda tem uma história de sucesso no Nordeste e mais uma vez contagiou o público do CTN com seu ritmo empolgante.

Banda Djavú

A Banda Djavú é um grupo musical brasileiro que teve sua origem na cidade de Capim Grosso, Bahia, em 2008. A Banda foi fundada pelos integrantes Nádila Freire, Geandson Rios e DJ Juninho Portugal.

O nome da banda foi inspirado no termo francês “déjà vu”, que se traduz como “já visto”.

Em 2008, a Banda Djavú lançou seu primeiro álbum intitulado “O Furacão é Show” e logo em seguida lançou seu primeiro DVD, que alcançou distribuição nacional.

A Banda Djavú rapidamente ganhou destaque em âmbito nacional com o sucesso de suas canções, incluindo “Não Desligue o Telefone” e “Me Libera (O Que Pensa Que Eu Sou)”. Essas músicas repercutiram em rádios e programas de televisão, solidificando a posição da banda no cenário musical.

A notoriedade do grupo expandiu ainda mais após a música “Nave do Amor” ser selecionada para a trilha sonora da novela Bela, a Feia, exibida pela RecordTV, tornando-se assim um expoente do Tecnobrega no sul e sudeste do país.

A Banda Djavú foi dona de um sucesso meteórico em todo país, na época, a banda em termos de sucesso meteórico, ficou apenas atrás dos Mamonas Assassinas. Além de explodirem em todo Brasil, também realizaram shows em vários outros países mundo afora.

Nos shows da banda, que são coreografados por oito dançarinas, há mistura de guitarra, baixo, sanfona, e batida eletrônica, introduzida pelo DJ Juninho Portugal.

Ainda mais

Adotaram o ritmo Tecnobrega. (Um gênero musical surgido no Pará que mistura elementos de música internacionalmente comercial, como música eletrônica e música pop, com gêneros regionais paraenses, como Calypso e forró eletrônico). Apesar de ter disseminado o ritmo pelo resto do país, a banda foi acusada de não fazer parte do movimento, utilizando-se do gênero para lucrar sem ter a representatividade da cultura paraense.

Devido ao surgimento de várias “bandas piratas” com nome similar e pequenas variações na grafia, o grupo mudou seu nome para Banda Djavú e DJ Juninho Portugal para não confundirem as bandas.

Na virada de 2015 para 2016, apresentaram-se como uma das principais atrações da festa de réveillon oficial da cidade de São Paulo, realizada na Avenida Paulista.

A separação

Por volta de novembro de 2010, houve uma grande alteração na formação da banda com a saída da vocalista Nádila Freire e do DJ Juninho Portugal. Essa mudança ocorreu pouco antes do lançamento de um DVD que havia sido gravado recentemente em Caraguatatuba, São Paulo, e que estava programado para ser lançado em dezembro do mesmo ano. A saída desses membros foi um acontecimento marcante para os fãs, que até hoje pedem o retorno da formação original e a consideram como a mais marcante da banda.

Nunca se soube o real motivo da separação, mas numa entrevista foi revelado que “As ideias não batiam, e que havia alguns conflitos internos.” Porém, permaneceram fazendo shows e gravando CDs e DVDs com novos integrantes.

Em 2018, DJ Juninho Portugal deixou a Banda Djavú para seguir com seu próprio projeto, mantendo o estilo musical característico da Banda Djavú. Com uma nova formação, ele continua a se apresentar e a produzir música, mantendo viva a influência da Banda Djavú em seu trabalho.

O retorno da banda

No ano de 2012, DJ Juninho Portugal retorna para a banda com Geandson Rios, Priscila Dantas e Lindy Rios. Na mesma época, Nádila Freire deu início à sua carreira solo.

Atualmente, todos os ex-integrantes da Banda Djavú continuam atuando na área musical em projetos individuais.

Geandson Rios continua com sua banda junto da cantora Keytte Moreno, enquanto DJ Juninho Portugal com seu projeto “DJ Juninho Portugal”, ao lado da cantora Alyne Garetto.

Conheça o CTN

O complexo cultural é administrado há uma década por Christiane Abreu, de 35 anos. A gestão é continuidade do legado do seu pai, o empresário José de Abreu, que fundou o CTN em 1991.

O CTN funciona aos sábados, domingos e feriados das 11h às 22h. No Sabadaço (evento semanal realizado aos sábados à noite), das 22h às 3h.

A cada show, o CTN recebe um público de aproximadamente 7 mil pessoas, totalizando ao longo de um mês, cerca de 100 mil pessoas que passam pelo espaço, com o intuito de vivenciar a cultura nordestina.

Compartilhe o artigo!
Shareable URL
Post anterior

Deolane Bezerra e ex BBB Marcus Vinícius curtem show de Manu Bahtidão no CTN

Next Post

K8 Brazil tem marca estampada no ring do Attack Fight

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o próximo