Serial Killers: Livro mostra os segredos da mente assassina!

Você mora ao lado de um serial killer? Livro mostra os segredos da mente assassina

Psicologia forense, criminologia e casos de arrepiar são usados para entender a intenção homicida de um serial killer.

Rubens Correia Jr. é um criminologista brasileiro que escreveu Serial Killers, um livro que revela o mistério da mente de um assassino em série. O lançamento da Matrix Editora mostra como a psique humana pode seguir caminhos obscuros e como a obsessão, a compulsão e a origem da intenção assassina podem ser explicadas.

Serial Killers: O que se passa na cabeça de um homicida?

O autor observa como os fatores socioculturais influenciam essas mentes sombrias e conta histórias que informam e assustam, mostrando as perturbações que existem na cabeça de um homicida. Ele explica como o conceito de homicídio em série surgiu e como ele foi pesquisado por vários especialistas.

O autor também explora as várias características que envolvem esses casos, como as diferenças entre os autores dos crimes. Como eles matam e por quê? Como eles escolhem suas vítimas? Eles se arrependem? Eles são pessoas normais? Eles têm uma natureza criminosa? O livro quer ajudar a compreender os atos cruéis, violentos e selvagens que desafiam a ideia de uma sociedade civilizada, sem julgar ou glorificar os indivíduos.

Livro: Serial Killers–Como funciona a mente sombria dos assassinos em série
Autoria:
 Rubens Correia Jr.
Editora:
 Matrix Editora
ISBN:
 978-65-5616-410-6
Páginas:
 264
Preço: 
R$ 66,00
Onde encontrar: AMAZON

“O leitor desconstruirá alguns mitos e falsas verdades sobre os assassinatos cometidos em série, questionará se há realmente um padrão nas condutas violentas ou se existe alguma possibilidade de prever tais ações e sairá de sua posição confortável para se aproximar dos serial killers”, destaca o autor.

Rubens Correia Jr

Segundo Rubens Correia Jr., os assassinos em série podem ser mais do que indivíduos desvirtuados e violentados, mas expressar um indício concreto de algum defeito na sociedade. O criminologista psicanalítico considera não ser possível persistir tratando o fenômeno como uma irregularidade isolada, ou um fato que apenas afeta malfeitores monstruosos, pessoas anormais resolvidas ou personagens de filmes, séries e livros.

Créditos de imagem: Divulgação – LC AGÊNCIA.

Compartilhe o artigo!
Shareable URL
Post anterior

NX Zero conquista primeiro lugar nas rádios com “Você Vai Lembrar de Mim”

Next Post

Beatriz Reis ‘Brasil’ do BBB 24 chega a 1 milhão de seguidores!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o próximo