RE:MONSTER, anime traz nova perspectiva em gênero Isekai

Créditos: Divulgação – Crunchyroll

A nova adaptação baseada na light novel de Kogitsune Kanekiru chamada de RE:MONSTER chegou nessa primeira semana de abril. Junto com uma nova leva de animes que ainda vamos falar em breve por aqui. Mas diferente da maioria, RE:MONSTER traz um ótica diferente dos gêneros de Isekai que estamos acostumados a assistir.

Resumindo um Isekai normalmente adapta uma segunda vida de um personagem humano que foi parar em um outro mundo de fantasia e ali ganhou poderes absurdos. Até aqui, meio que a história tem o mesmo padrão em RE:MONSTER, o que muda é o que vem a seguir. Mas antes disso confira uma sinopse do anime:

Sinopse de RE:MONSTER

Tomokui Kanata renasceu como o goblin mais fraco, agora conhecido como Goburou, após uma morte infeliz. Dotado das memórias de sua vida anterior, ele desenvolve uma evolução incomum, tornando-se forte o suficiente para ganhar status através da alimentação. Em um mundo alternativo onde a sobrevivência é para os mais aptos, acompanhamos os acontecimentos com subordinados e camaradas competentes, em um enredo deliciosamente intrigante que faz até mesmo o mais cético abanar o rabo…

Renascendo como um Goblin em RE:MONSTER

Um dos tipos de monstros normalmente considerados ou como o mais fraco ou o mais odiado em vários gêneros de animes asiáticos, o Goblin aqui se torna o personagem central da trama. E agora temos a sua visão de mundo, enquanto os humanos e todos os outros tipos de monstros se tornam o inimigo natural. É interessante ver finalmente um novo anime que aborda essa perspectiva mais a fundo e colocando o Goblin como protagonista. Apesar de também existir esse tipo de enredo emaranhado no anime Tensei shitara Slime Datta Ken (onde o personagem principal, um Slime comanda vários goblins evoluídos entre outros tipos). RE:MONSTER traz isso bem mais a um nível pessoal desse tipo de monstro específico.

Primeiro episódio já está disponível!

Em termos de andamento do anime, já deu pra sentir uma boa fluidez na história adaptada, o primeiro episódio adaptou mais ou menos os 4 primeiros capítulos da história original. Mas ainda é difícil falar que este será o ritmo padrão para o restante da série animada. Quanto ao estilo e qualidade da produção, não está ruim, mas ainda não consigo creditar como algo extraordinário. Em termos de pontuação teria que ser até o momento algo em 8/10.

No Brasil é possível acompanhar a trama através da plataforma oficial de streaming de animes Crunchyroll.

Compartilhe o artigo!
Shareable URL
Post anterior

Banda de rock psicodélico Psycho Delícia lança o álbum “Psy-fi”

Next Post

30-sai made Doutei dato Mahoutsukai ni Nareru Rashii, a história de um virgem de 30 anos que lê pensamentos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o próximo